AES Tietê inicia o seu novo trabalho de monitoramento e conservação da fauna terrestre, o projeto “mutum-de-penacho”

Programa realizado em parceria com a SAVE Brasil irá monitorar as aves na
região do reservatório da Usina Hidrelétrica de Água Vermelha

Para promover a preservação do meio ambiente e da biodiversidade nas regiões onde atua, a AES Tietê procura investir constantemente em programas que visam tais objetivos. A exemplo das iniciativas dos projetos “Pardas do Tietê” e “Lobos do Pardo”, iniciativas de monitoramento com o objetivo de zelar pelas espécies, a empresa firmou uma nova parceria, desta vez, com a SAVE Brasil (Sociedade para a Conservação das Aves do Brasil), organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP), para o desenvolvimento do Projeto Mutum-de-penacho, que será realizado no entorno do reservatório da UHE Água Vermelha.

Um levantamento na região do reservatório da Usina Hidrelétrica de Água Vermelha detectou a diminuição do mutum, e também de outras espécies da mesma família, sendo ele a espécie chave, cujo impacto na sua comunidade ou ecossistema é desproporcionalmente grande relativamente à sua abundância. A partir de fevereiro, será iniciado o diagnóstico e monitoramento da avifauna e principalmente do mutum, por meio de incursões em 25 remanescentes florestais da região, onde também serão instaladas câmeras e gravadores programados para detecção desta espécie. Através deste programa será acompanhado de perto se há sobrevivência do mutum, se estão presentes na região ou migrando para outras áreas. No estado de São Paulo, o mutum é criticamente ameaçado de extinção, além de ser internacionalmente vulnerável.

Para Odemberg Veronez, coordenador de Condicionantes de Licenciamentos da AES Tietê, o programa terá uma grande relevância ambiental. “Essas espécies são importantes disseminadores de sementes, principalmente àquelas de grande porte. Eles têm um papel fundamental na manutenção da floresta tropical devido à dispersão de plantas regenerando a floresta”, comenta Odemberg.

O monitoramento será feito na região do reservatório de Água Vermelha, contemplando os municípios de Ouroeste, Indiaporã, Mira Estrela, Cardoso, Riolândia e Paulo de Faria.